Tragédia familiar abaterá Yarisley Silva, rival de Fabiana Murer?

Um grande drama familiar se abateu sobre Yarisley Silva, campeã mundial desergiomestre salto com vara e grande concorrente de Fabiana Murer, Jeniffer Suhr e Yelena Isinbaieva na Olimpíada do Rio.

No dia 4 de fevereiro, seu companheiro Sergio Mestre, saltador de altura sofreu um acidente no Estádio Panamericano de Havana, enquanto treinava em busca de marcas classificatórias para a Olimpíada.

A caída em um dos pulos resultou em fratura e luxação da 12 vértebra da coluna cervical. O diagnóstico dos médicos é considerado “reservado”.

Yarisley deixou a temporada de competições na Europa e voltou a Havana e acompanha a recuperação de Mestre.

Os médicos dizem que foi possível estabilizar a coluna e foi constado que não há resposta sensitiva e nem motora dos membros inferiores. Mestre está sendo submetido a estudos de neurofisiologia e atenção psicológica. Espera-se que a inflamação desapareça para que se conheça a resposta definitiva do organisma o à lesão.

Yarisley voltará aos treinos hoje, mas está decidido que não participará de nenhum evento competitivo na temporada europeia.

 

CASTILLO2

Castillo é ouro em Roma. Os bons tempos podem voltar?

Yalennis Castillo venceu o Open de Roma, no final de semana. A judoca cubana chegou ao título com quatro vitórias seguidas, as três primeiras por ippon e a ultima, contra a italiana Assunta Galeone, 18 no ranking, por yuko. Conseguiu 100 pontos no ranking mundial e se aproximou de uma classificação direta para o Rio-16.

É o melhor resultado de Castillo nos últimos tempos, embora o quinto lugar no GP de Havana tenha lhe garantido 120 pontos.

Yalennis surgiu para o judô competitivo em 2007, quando foi chamada às pressas para ocupar o lugar da multicampeã Laborde, que havia desertado. Ela assumiu o posto e chegou à medalha de prata na Olimpíada de Pequim, 2008.

Depois, houve contusões que impediram um bom desenvolvimento na carreira. Foi medalha de bronze nos Pans de Guadalajara-11 e Montreal-15. Não participou da Olimpíada de Londres.

A busca de pontos para o Rio-16 teve ainda as conquistas do bronze para Idalis Ortiz, em Roma. Ela é campeã olímpica e terceira no ranking atual. Conseguirá a vaga, sem dúvidas. Daiaris Mestre (48) e Maricet Espinoza (63), quintas colocadas também caminham para a vaga. Onix Cortez, dos 70 quilos, derrotada na primeira luta, tem a missão muito dura.

Em Oberwart, na Áustria, Jose Armenteros foi bronze nos 100 quilos e Alex Garcia, quinto na categoria acima de 100 quilos. Asley Gonzales, dos 90 quilos, o maior nome masculino do judô cubano, voltou a sentir problemas no ombro direito e não competiu.

Arlen Lopez nocauteia e Dragões são domados facilmente

arlenlopezOs Domadores de Cuba conseguiram sua segunda vitória na World Series Boxing (WSB) de 2016, derrotando os Dragões da China, em Sanya, na China. O resultado foi 5 a 0. As lutas foram pelo formato C-1 (49, 56, 64, 75 e 91 quilos). No dia 26, os Domadores irão à Ucrânia enfrentar os Otomanos no formato C-2 (52, 60, 69, 81 e acima de 91 quilos).

Para esta segunda vitória, os treinadores cubanos voltaram a poupar figuras importantes que se preparam para o Pré Olímpico da Argentina, em março,

A noite começou com uma duvidosa vitória:

49: Santiago Amador (CUB) 2-1 (48-47, 47-48, 49-46) a Xin Huang (CHN)

O  cubano começou melhor, mas foi totalmente dominado nos dois últimos assaltos e sua vitória foi contestada até por jornalistas cubanos.

As outras lutas foram:

56: Robeisy Ramirez (CUB) 3-0 (50-45, 48-47, 50-45) a Long Wang (CHN)

A volta do campeão olímpico de 2012 nos 52 quilos foi muito boa. Dominou totalmente o chinês. Robeisy havia perdido o posto de numero um para Andy Cruz, que consegui a vaga olímpica. Entretanto, Cruz subiu para os 64 quilos e Robeisy irá ao Pré Olímpico.

64: Kevin Brown (CUB) 3-0 (50-45, 50-45, 50-45) a Qianxun Hu (CHN)

O lutador de 21 anos conseguiu sua segunda vitória em duas lutas na WSB. Provavelmente irá assumir o lugar de Yasnier Toledo no próximo ciclo olímpico. Seu adversário será Andy Cruz, da mesma idade.

75: Arlen López (CUB) TKO-3 a Minggang Zhao (CHN)

O campeão mundial conseguiu a melhor vitória, um nocaute técnico. É candidato ao ouro no Rio

91: Frank Sanchez (CUB) 3-0 (50-45, 50-45, 50-45) a Mingtao Li (CHN)

Sanchez é a novidade maior. Derrrotou Erislandi Savon, prata no Mundial, no campeonato cubano e sonha em disputar o Pré Olimípico. Savón ainda é  numero um, mas o garoto está crecendo.

Domadores conquistam Turquia com um 5 a 0 e belo nocaute

Um gancho de esquerda nas costelas. Nocaute técnico no primeiro assalto. toiracAssim, Yoandri Toirac (acima de 91 quilos) derrotou Bahram Muzaffer e selou a vitória dos Domadores de Cuba por 5 a 0 sobre os Conquistadores da Turquia, na estreia da equipe cubana na sexta temporada da World Series Boxing.

Toirac (foto)foi uma das novidades da equipe, em relação ao ano passado, que teve Leinier Peró como principal homem. Ainda há dúvidas sobre qual deles será escolhido para tentar, no Pre Olimpico das Américas, em março, conquistar a vaga para a Olimpíada.

Outra novidade foi Frank Zaldivar, dos 52 quilos. Com 19 anos, é vice-campeão cubano e assumiu o posto para dar um descanso a Yosvani Veitia, vice-campeão mundial e já classificado para o Rio-16. Ele, que tem apenas uma luta na WSB, venceu Ferhat Pehlivan, por 3 x 0 (50X45 e duplo 50×44).

Se havia alguma dúvida sobre Zaldivar, toda a certeza do mundo estava sobre a vitória de Lazaro Alvares, tricampeão mundial. Na categoria 60 quilos, ele derrotou Yasin Yilmaz, com os mesmos números de Zaldivar.

O terceiro cubano a lutar foi Roniel Iglesias (69 quilos ), atual campeão olímpico, mas que não teve um bom 2015. Ele ainda não tem vaga garantida no Rio-16 e a vitória por 3 a 0 (triplo 50×45) sobre Serhat Gulerfoi um bom treino.

E chegou a hora do show. Julio Cesar La Cruz (81 quilos), tricampeão mundial, mostrou todo seu arsenal de esquivas e contra-ataque para vencer com muita vantagem: 3×0 (duplo 50×45 e 50×42) a Mehmet Nadir Unal.

A próxima participação dos Domadores será dia 13 de fevereiro, em Pequim, contra os Dragões. As lutas serão nas categorias 49, 56, 64, 75 e 91 quilos

Cuba em festa. Heroico título na Liga do Caribe

caribeA comemoração começou no domingo à noite, quando a televisão cubana mostrou a vitória por 3 a 2 sobre os Tomateros de Culiacán, campeão da liga mexicana, que levou os Vegueros de Pinar del Rio ao título da Série do Caribe.

A última conquista foi em 1960. Então, Cuba foi expulsa da OEA e impedida, pelos Estados Unidos, de participar da competição. Voltou no ano passado e ficou em último. E agora, quando tudo parecia apontar para novo fracasso, veio a conquista.

As duas primeiras partidas foram de derrota 2 a 1 contra os Tomateros e 6 a 1 contra os Gigantes de Cibao, da República Dominicana.

Veio então nova derrota, com a deserção de Wadmir Gutierrez e Danier Moreira. A delegação culpou a nova lei americana, que facilita a entrada de cubanos na MLB. Os jogadores leram uma carta em que se mostravam contra o assédio e dispostos a lutar até o fim por uma boa presença na competição.

Na terceira partida, uma vitória sofrida. Cuba venceu Cangrejos de Santurce, de Porto Rico, por 3 a 2, com a necessidade de um décimo inning de desempate.  Toda alegria por uma nova postura ficou em xeque com nova derrota, por 2 a 1 para Caribes de Anzoategui, da Venezuela.

Cuba folgou na última rodada e se classificou porque os resultados dos outros rivais ajudaram.

Frederich Cepedaà semifinal contra o último adversário, Caribes de Anzoategui. Estava perdendo por 4 a 0 e começou uma estupenda reação com o veterando (34 anos) Frederich Cepeda, eu atua nos Gallos de Sanct Spiritus e nos Gigantes de Yomiuri, no Japão.

Quando o time estava perdendo, Cepeda e todos os outros reforços eram contestados. O torcedores diziam que era um absurdo haver deixado de fora jogadores de Pinal del Rio que lutaram pelo título nacional para buscar reforços.

Agora, após a reação que transformou o 0 a 4 em 8 a 4 e a vitória final por 3 a 2 contra os Tomateros, Cepeda voltou a ser herói.

Entre os analistas cubanos, porém, impera a prudência. Todos comemoram o título ansiado, mas lamentam a falta de “rodagem” dos cubanos. Apenas cinco atuam no Japão, enquanto alguns dos rivais estão inclusive na MLB. Talvez com as mudanças políticas seja possível que os cubanos atuem também na MLB e na seleção.

Por enquanto, apenas os que abandonam a delegação cubana podem atuar nos EUA.

Peró derrota gigante e Domadores chegam a 20 vitórias seguidas

pero2O croata Vladan Babic, reforço dos Dragões da China impressiona com seus 124 quilos. Mas, sem mobilidade alguma foi presa fácil de Leinier Peró, dos Domadores de Cuba, na última luta de sexta-feira, em Havana. Batendo e saindo, sempre na ofensiva, Peró ganhou por 3 a 0 (50×44, 50×44 e 49×46) e levou os os Domadores a um 5 a 0 que já é rotina. Foi assim contra a Rússia, contra os Falcões do Deserto da Argélia e contra os Leões de Marrocos.

Com vinte vitórias em vinte lutas, os Domadores reforçam o status de favoritismo para o título da V Liga Mundial de Boxe.

Os Domadores se deram ao luxo de poupar Roniel Iglesias, campeão olímpico em Londres-12. Os 69 quilos foram defendidos por Arinoids Despaigne, que derrotou o mongol Hurichabulige, que sofreu uma contagem de proteção no segundo assalto. Nos dois rounds finais, Despaigne perdeu ritmo e foi derrotado, mas manteve os 3 a 0 (48×47, 48×47 e 49×46).

Depaigne teve papel importante na liga do ano anterior, mantendo-se invicto enquanto Iglesias estava suspenso. E, na decisão do título, contra o Cazaquistão, foi o vencedor no desempate, após cinco vitórias para cada lado.

Lázaro Álvarez (60 quilos) que tentará em outubro o seu terceiro título mundial seguido deu uma aula em Jun Shan. Sempre teve a iniciativa do ataque, caçou o rival por todo o ringue e ganhou por 3 a 0 (50×44, 50×44 e 49×46).

Yosbani Veitia (52 quilos) conseguiu sua décima vitória seguida. As oito primeiras foram no ano passado, na categoria 49 quilos. O derrotado foi Yong Chang, por 3 a 0 (50×45, 50×45 e 49×46).

A “varrida” teve também o bicampeão mundial Julio Cesar La Cruz, sempre com seu estilo de guarda baixa, ganhando por 3 a 0 (triplo 50×43) a Guong Shi.

Na próxima semana, os Domadores enfrentam os Guerreiros do México, fora de casa.